Marquês de Pombal

Marquês de Pombal – Descrição / texto

A Praça do Marquês de Pombal é possivelmente o ponto mais notável de Lisboa. Aqui convergem a cidade histórica e a cidade moderna, a construída e a natural, a central e a metropolitana. A comemoração do quarto centenário da chegada de Vasco da Gama à Índia em 1898, a luta pela implantação da República em 1910, a celebração da vitória no Euro 2016, todos aconteceram aqui. A relevância geográfica e simbólica deste lugar estariam na mente do Arqº Carlos Ramos quando desenhou a praça como uma grande rotunda, subjugando a massa dos edifícios a um desenho de tráfego eficaz. As fachadas dos edifícios são modernas e graves, genéricas e monumentais, num equilíbrio aturado que sobreviveu a várias épocas e usos.

A deslocação de empresas para outras zonas da cidade, bem como uma alteração do mercado imobiliário, que passou a privilegiar habitação colectiva de luxo sobre outros usos, levaram o nosso cliente, que tinha acabado de adquirir os edifícios 12 e 13, a ponderar a mudança de uso de escritórios para hotel e hotel de apartamentos.

O nosso estudo de viabilidade indicava que o edifício se adaptaria perfeitamente ao novo uso, que incluiria um pequeno centro de congressos e um SPA num magnífico espaço técnico no subsolo. Apesar disso, o programa era tão excepcional que não havia dados suficientes para uma análise comparativa em Lisboa, e finalmente o cliente optou por manter os escritórios, com pequenas adaptações.


O quarto centenário da chegada de Vasco da Gama à Índia (1898)
Monumento ao Marquês de Pombal (1915) – Adão Bermudes e António do Couto

Visão


Ficha técnica

Local
Lisboa
Data
2014 - 2015
Área Construída
13536 m²
Área do Terreno
1080 m²

Arquitectura
Vasco Correia e Patrícia Sousa
Colaborou
Sebastien Alfaiate